terça-feira, 15 de setembro de 2009




Sou como a água. Nenhuma barreira poderá represar-me e impedir que me torne um oceano.
Se barrarem minha passagem colocando grandes pedras no meu leito converter-me-ei em torrente, em cachoeira, e saltarei impetuosa.
Se me fecharem todas as saídas, eu me infiltrarei no subsolo. Permanecerei oculta por algum tempo mas não tardarei a reaparecer. Em breve estarei jorrando através de fontes cristalinas para saciar a sede dos transeuntes.
Se me impedirem também de penetrar no subsolo, eu me transformarei em vapor, formarei nuvens e cobrirei o céu. E, chegando a hora, atrairei furacão,provocarei
relâmpagos, desabarei torrencialmente, inundarei e romperei quaisquer diques e serei finalmente um grande oceano.

2 comentários:

J.R disse...

Belo retorno!

bjãooo!

J.R disse...

Que nada!! É só fogo de palha...rs.

Brigadão pelo carinho.

Ótimo finzinho de Domingo...bjãoo!