sexta-feira, 26 de junho de 2009

Procuro cada vez que estou contigo,
um motivo, uma razão ou justificacão,
um não sei que de querer-te e
fazer-te querer-me ainda mais...
Vagueio na escuridão, buscando um olhar teu,como aquele que um dia me olhou... Desejo no calor do momento dizer-te tanta, tanta coisa, mas no exato momento de falar, tudo se apaga...
Grito surdo e mudo sufoca mais profundamente o meu coracão ansioso.
Cega vagueio na imensidão do meu desespero
na esperança de que num só
toque possa me reconhecer.
Sofro porque a tua vaidade e egoismo cegaram-te
perante um fato tão evidente.
Abraço-me à imensidão de um futuro sempre distante, na esperança que um dia a luz se abra, sim, um dia, porque para mim a muito tempo ela não brilha.
Rezo, para que olhes através de mim e me vejas pequena sentada num lugar sombrio e nebuloso, com os braços cruzados nos meus joelhos, com lágrimas e angústias estampadas no meu rosto
porque é assim que o meu íntimo se sente...
e assim se sente por nao ter de você nada mas que um desejo descabido facilmente saciável, porque sou presa fácil e demasiada impulsiva.
Lamento não despertar em ti nada mais que desejo carnal e desejo de pena,
quando que em mim despertas amor
Lamento ser criança grande, criança mimada e carente de você
Lamento não me dizer com um olhar o que dizes para outro alguém...

Um comentário:

J.R disse...

hmmm meiga!!!
Penso que essa mocinha aí do texto não pode esperar que ninguém perceba seu sofrimento. Ela tem de perceber seu sofrimento e ela mesma saber como sair dele! Só ela é capaz. A felicidade está dentro da gente, não dentro dos outros.
Meiga! Fala pra ela levantar a cabeça e buscar a felicidade dentro de si mesma. Creio que seja o melhor caminho.


ótimo FDS.

bjs.